07
jun

Relação entre trabalho e saúde mental

Problemas psicológicos já são o segundo maior caso de abstenção no trabalho. Apesar de comum, esses episódios ainda são um tabu enfrentado em muitas empresas. Termos como “frescura” ou “loucura” ainda são usados para situações como essa.

De acordo com a OMS o número de pessoas com depressão subiu 18,4%, chegando a 322 milhões de indivíduos no mundo, ou 4,4% da população mundial. No Brasil 5,8% da população sofre com depressão e 9,3% com ansiedade, as maiores taxas do continente americano. E, sendo o trabalho o local onde passamos a maior parte do nosso tempo, não há como dissociá-lo com esses problemas. Esses problemas englobam efeitos como fobia, transtorno obsessivo-compulsivo, estresse pós-traumático e ataque de pânico. As mulheres sofrem mais com a ansiedade: cerca de 7,7% das mulheres são ansiosas e 5,1%, deprimidas. Já entre os homens, o número cai para 3,6% nos dois casos

Preconceito

O preconceito com transtornos psicológicos ainda existe e é uma grande barreira contra o tratamento e aceitação desses problemas na sociedade.

O que as pessoas e empresas têm que entender é que a maioria das doenças é tratável. Devemos parar de tratar como algo não relevante. Quem toma um remédio para depressão, por exemplo, é como uma pessoa que toma um medicamento diário para hipertensão.

Como identificar?

Cobramos e somos cobrados mais hoje em dia, independente da profissão. Exigimos mais de nós mesmos, e o estresse, que está ligado com esse fato, é um dos problemas mais comuns entre os transtornos psicológicos. Ainda mais em um ambiente corporativo onde produtividade, metas e objetivos fazem parte da vivência. O acesso fácil a informações que temos atualmente contribui para uma sobrecarga de conhecimentos e responsabilidades, cooperando para possíveis quadros de estresse. Esse quadro pode levar a ansiedade, depressão ou problemas físicos, como doenças cardíacas ou neurológicas.

A empresa e seus gestores devem estar atentos aos sinais de um colaborador com um possível transtorno psicológico. Uma das primeiras reações a serem percebidas é a alteração do comportamento e do humor. A pessoa fica mais quieta, evita contato social ou pode se tornar mais agressiva e menos tolerante.

O que as empresas podem fazer

Não é difícil achar empresas que investem em programas de atividade física e de relaxamento para seus funcionários. Mas não adianta investir nessas propostas se não evitar desgastes corriqueiros, como ambientes com falta de transparência, pressões desnecessárias, situações de assédio, humilhação ou relacionamentos desgastados, coisas estas que acontecem no dia a dia e que podem levar a problemas maiores.

O fato de o indivíduo estar preocupado com fatores externos também deve ser respeitado e levado em conta. Levar preocupações para o ambiente de trabalho, como problemas de saúde na família, necessidades de filhos ou mortes de pessoas próximas, pode diminuir o desempenho do funcionário, comprometendo todo o ambiente que o cerca. Para um funcionário que está com o filho doente em casa, talvez se estivesse em casa cuidando e amparando o filho, fosse mais saudável para ela e para a própria empresa. Exigir que o profissional trabalhe em situações limite não é saudável para ninguém.

Outro fator de atenção são os celulares. Os smartphones alteraram a dinâmica de horário de trabalho e descanso. Grupos de conversa do trabalho trazem agilidade, mas dificulta a desvinculação do trabalho. Ela ainda questiona o uso de celular corporativo em folgas ou férias, pois em muitas situações após a ciência do problema é necessário a proximidade física para resolução do mesmo e estando distante o indivíduo que está em período de folga ou descanso poderá se angustiar e ter pouca condição de atuar sobre o problema.

O respeito ao horário do trabalho é fundamental. Assim como o respeito ao período de férias. O período de desconexão com o trabalho e com as responsabilidades é essencial para a saúde mental.

Dicas para manter a saúde no trabalho

Reconheça que seus pensamentos e sentimentos são apenas pensamentos e sentimentos – e não fatos

Conseguir separar fatos de sensações é o primeiro passo para conseguir se compreender e desenvolver o autocontrole. Por exemplo: você talvez esteja ansioso por ter que fazer a apresentação de um projeto para a presidência da empresa e se sinta inseguro. Separar o fato – “tenho essa apresentação amanhã” – dos seus sentimentos – “estou sentindo ansiedade” – o ajudará a não deixar que as emoções controlem a situação.

Seja realista

Expectativas frustradas podem ser uma fonte inesgotável de stress e desânimo. Mas, ainda que essa situação não seja sua culpa, há algo importante que você pode fazer: revisar seus planos. Avalie seus objetivos iniciais e compare-os com a realidade. Suas expectativas eram realistas? Que obstáculos atrapalharam seus planos? Eles já estavam lá ou apareceram depois? Que ajustes poderia fazer nas suas metas para que não se frustre novamente?

É claro que pode valer a pena persistir em um objetivo e superar várias tentativas frustradas até consegui-lo, mas também é preciso ser realista e avaliar se essa busca está comprometendo sua saúde mental. Estabelecer metas razoáveis, por outro lado, poderá ser muito benéfico para a sua vida como um todo.

Faça pausas

Pode ser tentador pular a hora do almoço ou comer em cima do seu teclado para ganhar tempo no trabalho, mas isso não lhe fará bem nem física nem mentalmente. Aproveite esse tempo para sair do escritório, dar uma volta ao ar livre e se mexer um pouco.

Cultive amizades

Contar com uma rede de apoio é muito importante para a nossa saúde física e mental. Por isso, dedique algum tempo e energia para cultivar boas relações com pessoas que te fazem bem.

E, quando o dia estiver difícil – todos nós passamos por isso – converse com um amigo, parente ou cônjuge. Conectar-se com os entes queridos por si só pode ajudar a melhorar seu humor e lembrá-lo daquilo que você valoriza na vida. Manter em mente as coisas que mais importam pode ajudá-lo a se sentir menos estressado no trabalho, e talvez até mais feliz e mais produtivo.

Problemas com saúde mental? Entre em contato, a Quintino conta com uma equipe altamente qualificada para lhe ajudar!

1
Olá! Problemas com drogas ou álcool? Vamos lhe ajudar!
Powered by