04
jan

Verão, adolescentes, álcool e drogas

Publicado em Alcoolismo Artigos

Verão, adolescentes, álcool e drogas

No verão a combinação dos elementos “férias” e “calor” pode criar um cenário de maior risco para que jovens experimentem bebidas alcoólicas e, consequentemente, outras drogas ilícitas, o que exige atenção redobrada da família.

O álcool, que é a substância mais consumida pelos jovens, pode comprometer o Sistema Nervoso Central, que ainda está em desenvolvimento durante a adolescência. Por isso, o consumo de álcool por crianças e adolescentes é inaceitável. Ademais, somado à impulsividade comum nessa faixa etária, o consumo de bebidas alcoólicas pode favorecer comportamentos de risco e prejudicar o desempenho na escola.

Dados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE) de 2015 realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostraram que, entre alunos de 13 a 15 anos, a experimentação de álcool subiu de 50,3% em 2012 para 55,5% em 2015. Além disso, 21,4% desses adolescentes relataram já terem sofrido algum episódio de embriaguez na vida.

A pesquisa mostrou também que meninas dessa faixa etária estão bebendo mais que os meninos, sendo que a taxa de experimentação de álcool é maior entre elas (56,1% vs. 54,8%) e também o uso de álcool nos últimos 30 dias (25,1% vs. 22,5%). Esses dados são preocupantes, considerando que elas são mais sensíveis aos efeitos do álcool. Isso ocorre principalmente por dois motivos: a quantidade de água presente no corpo feminino é menor, o que faz com que o álcool fique muito mais concentrado; as mulheres apresentam menores níveis das enzimas que metabolizam o álcool, e por isso demoram mais para eliminá-lo do organismo. No caso das meninas, um estudo mostrou que problemas com a imagem corporal podem estar relacionados ao uso de álcool.

Diante desse cenário, recomenda-se a pais e familiares que conversem com seus filhos sobre o tema para preveni-los do uso de álcool e drogas. Lembrando que, para estabelecer limites, não é preciso fazer sermões e ser autoritário: mostrar apoio e ser amável durante o diálogo gera uma relação de confiança. Ressaltamos ainda que crianças e adolescentes estão sempre atentos às atitudes dos pais, por isso é fundamental ter atitudes e hábitos saudáveis: você é o exemplo mais importante para seus filhos.

Fonte: CISA – Centro de Informações Sobre Saúde e Álcool

Open chat
1
Olá! Problemas com drogas ou álcool? Vamos lhe ajudar!