21
dez

Festas de fim de ano facilitam recaídas de dependentes químicos

Uma das premissas de qualquer tratamento da dependência química, é: evite lugares, pessoas e hábitos que lembrem o uso de álcool ou drogas. Mas, como fazer nesta época de fim de ano, de festas e confraternizações, que para nós brasileiros remete principalmente ao uso muito álcool?

Para o dependente químico é uma época de tormento, ansiedade, dúvidas e angústias, pois para eles, como sobreviver a esse momento sem uma recaída, sem sofrimento causado pela autopiedade, pela falta de habilidade de lidar a situação e com a pressão da própria família e sociedade?

Vivemos em uma sociedade etílica, onde se deduz que todos bebem. Quando você chega a festa e a primeira coisa que te perguntam é: o que você vai beber? E se você responder que não bebe, na maioria das vezes perguntam o porquê, ninguém pergunta porque você bebe. Algumas vezes ainda insistem para que você beba mesmo assim.

Em uma festa onde a grande maioria faz uso de álcool, todos ficam eufóricos e, muitas vezes, após algumas horas fica quase insuportável a convivência com a embriaguez dos convidados. Além do que você fica praticamente sem assunto e sem a motivação de conversar ou de se relacionar com a maioria das pessoas, devido ao tipo de conversa que se tem após algumas doses. É extremamente difícil para quem não pode beber. É preciso saber o que fazer nestas festas, senão se rende à tentação e a recaída torna-se certa, e todo um trabalho, todo um esforço se vai a uma dose ou num copo de bebida, que para as pessoas em geral é apenas uma dose, mas para o dependente químico é o início de uma série de recaídas ou até mesmo de ser abertura para buscar outras drogas e usá-las por dias ou meses sem conseguir parar.

As pessoas da festa vão para casa e os dependentes vão para a rua atrás de mais doses ou mais drogas, geralmente culminando em mais uma internação para recuperação, e ainda críticas, das mesmas pessoas que o induziram ao uso de apenas um copo de cerveja ou uma dose.

O melhor mesmo é evitar lugares com bebidas e drogas. O melhor é ficar junto da família, pois estes sabem das dificuldades de cada dependente.

1
Olá! Problemas com drogas ou álcool? Vamos lhe ajudar!
Powered by