24
abr

Alcoolismo e cirrose hepática

Publicado em Alcoolismo
Cirrose hepática e alcoolismo

Cirrose hepática por alcoolismo leva milhares de brasileiros à morte todos os anos. Previna-se!

Cirrose é uma doença crônica do fígado caracterizada por fibrose e formação de nódulos que dificultam a circulação do sangue dentro do órgão. A cirrose faz com que o fígado produza tecido de cicatrização no lugar das células saudáveis, assim o órgão deixa de desempenhar suas funções normais no metabolismo de nutrientes e medicamentos, produção de proteínas e de bile. É mais comum em homens acima dos 45 anos, mas pode acometer também mulheres.

O abuso do álcool é a principal causa da cirrose

Como o fígado é responsável pela metabolização dessa substância, quando exposto a doses excessivas de álcool, sofre danos em seus tecidos vitais que podem comprometer seu funcionamento para sempre.

O álcool pode provocar três tipos de lesões hepáticas: a acumulação de gordura (esteatose), a inflamação (hepatite alcoólica) e o aparecimento de cicatrizes (cirrose).

O grande perigo da cirrose hepática é que ela é silenciosa durante anos, ou seja, o fígado, mesmo sofrendo agressões, parece não reclamar. Isso atrasa o diagnóstico, que se dá na maioria das vezes em estágio avançado — fase em que costumam aparecer os sintomas.

Como o problema não tem cura e nem pode ser revertido, a solução, em alguns casos, se dá somente com o transplante de fígado. A recomendação é ficar atento se houver fatores de risco para a doença, como hepatites crônicas, etilismo, presença de gordura no fígado, para diagnosticá-la quanto antes e poder estacionar seu avanço.

Outras causas de cirrose são as hepatites provocadas pelos vírus B e C, hepatites autoimunes e uso de determinados medicamentos.

Fatores de risco

As mulheres são mais sensíveis à doença hepática alcoólica do que os homens. Além do abuso do álcool, sexo sem proteção, sendo que pessoas do sexo feminino tem um risco maior, subnutrição e fatores genéticos que influenciam como o álcool é metabolizado no corpo, também são associados ao aparecimento da cirrose hepática.

Primeiros sinais

  • Perda do apetite
  • Náuseas
  • Vômitos
  • Indigestão
  • Perda de peso
  • Constipação
  • Dor abdominal
  • Fadiga

Principais sintomas

  • Fígado aumentado
  • Olhos e pele amarelados e urina escura
  • Sangramento do trato gastrintestinal
  • Coceira
  • Perda de cabelo
  • Inchaço nas pernas
  • Aumento do volume da barriga
  • Tendência para formar hematomas com facilidade
  • Confusão mental

Tratamento

A cirrose hepática é uma doença séria que pode levar a morte. Feito o diagnóstico, o primeiro passo é a abstenção completa ao álcool. Quando o paciente apresenta desnutrição, o que é bastante comum em alcoólatras com cirrose hepática, uma dieta será recomendada para reverter deficiências nutricionais.

O uso de medicamentos para reduzir a inflamação no fígado também pode ser recomendado. A recomendação varia muito de acordo com o caso de cada paciente e, nos casos mais graves, a única saída pode ser o transplante de fígado. Felizmente a taxa de sobrevivência nos casos de transplante são bastante satisfatórias, cerca de 70%.

O ideal é que o paciente procure um especialista assim que perceber os primeiros sintomas. E para quem não tem controle sobre o álcool, vale a recomendação: evite o primeiro gole!

1
Olá! Problemas com drogas ou álcool? Vamos lhe ajudar!
Powered by